Exportação: Agronegócio de MS celebra reabertura econômica da China

Foto: Arquivo

A exportação da carne suína in natura sul-mato-grossense renderam US$ 5,7 milhões de janeiro à maio de 2020

Boletim Casa Rural publicado pela Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) ressalta que “a reabertura das atividades econômicas na China refletiu positivamente na relação comercial com o agronegócio brasileiro”. Segundo a publicação, de janeiro a maio deste ano 47% das exportações do agronegócio do Brasil foram para o país asiático.

Somente os produtores sul-mato-grossenses tiveram 60% dos produtos comercializados no mercado internacional destinados aos chineses, 52,6% do faturamento com as exportações estaduais, o equivalente a US$ 1,1 bilhão. “A segunda posição foi ocupada pelos Estados Unidos com 3,87% da receita com exportações do agronegócio sul-mato-grossense, com valor de US$ 87,2 milhões”, detalhou a entidade.

Ela aponta ainda que as exportações do agronegócio no Mato Grosso do Sul, entre janeiro a maio de 2020, representaram 96,38% das exportações do Estado e totalizaram US$ 2,2 bilhões em receita, alta de 8,63% em relação ao igual período de 2019. “O complexo soja e os produtos florestais foram responsáveis por 42,61% e 33,70%, do faturamento com as exportações do agronegócio. O terceiro segmento que se destacou foram carnes, com 17,98%”, indica.

Somente de carne bovina in natura, em maio Mato Grosso do Sul exportou US$ 54,9 milhões e 13,5 mil toneladas. Desde janeiro até o mês passado, o acumulado atingiu US$ 265,4 milhões e 63,4 mil toneladas exportadas.

“No comparativo com igual período de 2019 houve aumento de 2,48% na receita e queda de 11,88% no volume, tendo em vista que entre janeiro a maio de 2019 o faturamento foi US$ 259 milhões e o volume 72 mil toneladas. O Brasil exportou US$ 2,8 bilhões e 624,8 mil toneladas de carne bovina in natura, no acumulado de 2020. Ganhos de 29,85% na receita e 8,91% no volume quando comparados a 2019”, aponta.

Os principais destinos da carne bovina sul-mato-grossense foram Chile e Hong Kong. Juntos, responderam por 33,1% da receita entre janeiro a maio de 2020 e receita equivalente a US$ 87,8 milhões. A China ocupou a terceira posição com 13,10% da receita.

Já as vendas de carne de frango in natura no mercado internacional chegaram a 13,7 mil toneladas e garantiram faturamento de US$ 20,2 milhões ao agronegócio estadual.

“No acumulado entre janeiro a maio de 2020, a receita superou US$ 106 milhões e volume de 63 mil toneladas. No comparativo com igual período de 2019 os ganhos foram de 36,82% na receita e 44% no volume, quando o faturamento havia sido de US$ 77,5 milhões e o volume 43,9 mil toneladas”, acrescenta o boletim da Famasul, segundo o qual China respondeu por 23,76% da receita e o Japão por 18,82%.

Em referência às exportações de carne suína in natura sul-mato-grossense, a publicação aponta US$ 5,7 milhões de receita e 3,6 mil toneladas em volume de janeiro a maio de 2020. Isso representou alta de 6,954% no faturamento, que havia sido de US$ 82 mil em igual período de 2019.

“O principal destino da carne suína de MS é Hong Kong. O País respondeu por 68,21% da receita com as vendas externas de carne suína do estado. O segundo lugar, com 22,44%, foi ocupado por Cingapura”, finaliza o boletim Casa Rural.

Fonte: DouradosNews

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias semelhantes