Preço do arroba bovina sobe 12,1% no Estado com maior demanda chinesa

Aumento nas exportações para a China e maior consumo no final de ano devem puxar cotações

O preço da arroba do boi gordo subiu 12,12% em Mato Grosso do Sul em pouco mais de uma semana acompanhando a tendência de alta verificada nos últimos dias em todo o País. Hoje a arroba do boi está cotada em média a R$ 185 (à vista), enquanto a da vaca ficou em R$ 173,50 em média segundo dados do Sistema Famasul. No dia 10 de novembro, por exemplo, o valor estava cotado em média a R$ 165.

De acordo com a analista técnica da Famasul Eliamar Oliveira, o aumento nos preços é reflexo e oferta enxuta e consumo aquecido. “Nesse período do ano cresce a demanda interna e simultaneamente as exportações estão em alta. De janeiro a outubro o Mato Grosso do Sul faturou mais de US$ 551 milhões com as vendas de carne in natura para o exterior”, acrescentou.

O presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG), Alessandro Coelho, concorda quanto ao otimismo, mas recomenda cautela. “Vivemos um momento de euforia com o mercado, porém a realidade não é bem essa que parece. Trata-se de uma recuperação de mercado, que passou por quatro anos em recessão, sendo seu último pico em 2015, quando se esperava R$ 170 na arroba, o que não se aplicou”.

Segundo ele, quando o Brasil entrou em recessão, a arroba entrou junto. “Além disso a pecuária tem sofrido muito devido à redução de matrizes; a agricultura avançou e a pecuária acabou ficando mais restrita. A pecuária vai ter que ser eficiente, uma vez que os custos subiram e os valores ainda estão muito aquém de uma margem razoável de lucro, a vida do pecuarista continua difícil”, completou o presidente do SRCG ao lembrar que o mercado da carne bovina é indissociável do milho, principal matéria-prima para o acabamento do gado.

Novos mercados

A abertura de novos mercados e a habilitação de plantas frigoríficas menores também sustenta este cenário mais positivo. “A nossa Ministra Tereza Cristina, quando veio aqui e oficializou a habilitação de algumas plantas frigoríficas de pequeno porte, para exportar para a China, fez com que esses frigoríficos puxassem a fila nos preços da arroba nesses últimos meses”, pontua Coelho.

Então não é só a oferta restrita de boiada que mantém o mercado do boi em alta, segundo o sindicato. Mesmo com a baixa disponibilidade de animais terminados à pasto e a insuficiência do rebanho confinado, ações políticas, que impulsionam os pequenos frigoríficos também contribuem para sustentar os preços.

Com relação ao mercado futuro a analista da Famasul, Eliamar Oliveira também reforça o cenário positivo para a pecuária no ano de 2020. “A economia brasileira se recupera gradativamente e o mercado externo está pujante inclusive com a ampliação de vendas para os países da Ásia, em especial a China e também para países do Oriente Médio como por exemplo a Arábia Saudita”, finaliza ela.

A valorização da arroba nos últimos anos foi intensificada nos últimos meses e, a expectativa para 2020 é ainda melhor. Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o analista da Cross Investimentos, chega a citar uma arroba de R$ 200, para o primeiro trimestre do ano que vem.“Tem um mercado muito promissor e temos esse boi com padrão exportações que começou a puxar essa alta, mas a oferta desse animal vai ficar cada vez mais difícil até meados de março”, relatou o analista. E ao mesmo tempo que o mercado é otimista, ele pede cautela. “Não adianta pecuária olhar os preços futuros e fazer prognóstico de alta com os valores, mas o produtor precisa saber utilizar as ferramentas disponíveis no mercado para fazer trava de preços”, aponta.

CGNEWS

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias semelhantes