Rio Verde-MS: Família denuncia descaso com paciente da covid-19

Foto: Ilustração

Enfermeira falou para família se despedir em tom de deboche

Revoltada com o descaso que o tio passou ao procurar atendimento no Hospital de Rio Verde, uma jovem de 22 anos, que prefere não se identificar, afirma que familiares presenciaram enfermeiros debochando do estado grave de saúde de um homem de 50 anos, que testou positivo para a covid-19.

Ele está internado no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e, segundo a sobrinha, os médicos pediram para a família se preparar para o pior.

Ela afirma que o teste para o novo coronavírus demora oito dias para ficar pronto. “Ele começou a se sentir muito mal, fez o teste da covid-19, ficou esperando, mas só foi piorando. Nesse período de espera, ele voltou no dia 7 de fevereiro ao hospital e piorou. Ele piorou muito, minha madrinha tentou entrar contato com hospital para pegar ele na casa da minha avó, mas disseram que não tinha ambulância disponível e era para tentar levar ele de carro”.

Ela conta que o paciente deu entrada no hospital e ficou tomando soro. “Lá é só soro e dipirona com todo mundo. Quando saiu exame, que ele tinha covid, disseram que teriam que transferir ele para Campo Grande. Ele saiu com a equipe às 17 horas de lá, era para chegar às 19 aqui, mas chegaram aqui 20h20 no Hospital Regional. Nossa família estava esperando, foi quando uma enfermeira zombou e falou que podia dar beijinho de despedida, insinuando que ele ia morrer”.

A sobrinha afirma que uma das enfermeiras contou que o homem teve parada cardiorrespiratória durante o percurso para a Capital. “Ele foi internado na hora, em estado grave. Uma das enfermeiras contou também que ele teve três paradas cardiorrespiratória no caminho, mas isso não existe no prontuário dele. Não tem nada disso lá, só falaram que atrasaram mesmo para chegar em Campo Grande”, disse a sobrinha.

Ela afirma que o estado de saúde do tio é grave. “Nada foi lançado no prontuário dele, ele chegou aqui em Campo Grande sem o histórico do que aconteceu lá. A infecção foi para o rim e para o pulmão dele, a situação é bem delicada”.

“Tudo isso que relatei serve de alerta para a população, foi com meu tio, mas pode acontecer com outra pessoa. Foi descaso total, como que pode alguém ver família no desespero e mandar dar beijinho de despedida? Essa enfermeira falou isso na frente da minha mãe e do restante dos familiares, eles têm que ter um pouco de humanidade. Lá no hospital até consta que ele estava com dengue, falaram covid-19, depois dengue, é uma bagunça”.

Hospital

O TopMídia News entrou em contato com o hospital de Rio Verde e uma funcionária anotou a demanda, alegando que não pode fornecer o telefone do diretor da unidade. Ela disse que as solicitações seriam repassadas e que, posteriormente, o hospital entrará em contato com a redação.

Até o fechamento desta matéria, nenhuma informação foi enviada.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Notícias semelhantes