São Gabriel do Oeste está entre as cidades que mais geraram empregos no setor industrial durante o ano

A pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19) não impediu que o setor industrial de Mato Grosso do Sul, que é composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, fechasse o 1º semestre de 2020 com crescimento de 26% na comparação com o mesmo período de 2019, conforme aponta levantamento realizado pelo Radar Industrial da Fiems.

São Gabriel do Oeste ficou entre as cidades que mais geraram emprego durante este período, com 238 vagas criadas. Entre os destaques, com saldo positivo de pelo menos 100 vagas, também evidenciaram-se Dourados (+722), Naviraí (+455), Rio Brilhante (+365), Sidrolândia (+267), Caarapó (+236), Fátima do Sul (+202), Brasilândia (+184), Itaquiraí (+176), Água Clara (+162), Angélica (+125) e Nova Andradina (+100).

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o município possui em seu setor de cadastro mais de duas mil empresas e 1.427 microempreendedores individuais. São Gabriel do Oeste também é conhecida como “Capital da Suinocultura” e abate cerca de 3,3 mil suínos por dia. Instalada no Núcleo Industrial Sul da cidade, a Aurora se tornou a maior empresa do município gerando mais de 2 mil empregos.

Saldo MS

De janeiro a junho de 2020, as indústrias sul-mato-grossenses fecharam com saldo positivo de 2.484 vagas, enquanto no mesmo período de 2019 o saldo positivo foi de 1.970 vagas. Apenas em junho, o setor foi responsável pela abertura de 754 postos formais de trabalho em Mato Grosso do Sul, resultado de 4.763 contratações e 4.009 demissões.

Segundo análise do coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, as indústrias foram o setor econômico com o melhor desempenho para o mês em Mato Grosso do Sul. “Com o bom desempenho, as indústrias estaduais garantiram, desse modo, a condição de maiores geradores de postos formais de trabalho em Mato Grosso do Sul até o momento”, informou.

O economista ressalta que o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou o 1º semestre de 2020 com um total de 127.499 trabalhadores empregados. “Esse montante indica, até aqui, um aumento de 2% em relação ao fechamento do ano anterior, quando ficou em 125.015 funcionários. Dessa forma, o setor responde por 19,4% de todo o emprego formal existente no Estado, ficando atrás dos setores de serviços, que emprega 192.460 trabalhadores e tem participação de 29,3%, e administração pública, com 142.285 empregados e participação de 21,7%”, detalhou.

Ainda conforme o economista, no mês de junho, as atividades industriais que mais abriram vagas foram preparação de subprodutos do abate (+374), abate de aves (+359), abate de bovinos (+213), abate de suínos (+147) e fabricação de açúcar (+62). Já no período de janeiro a junho as atividades industriais que mais abriram vagas foram abate de aves (+759), abate de suínos (+730), fabricação de celulose e de papel (+710), fabricação de açúcar (+598) e construção (+586).

Com dados da FIEMS.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias semelhantes